domingo, 10 de abril de 2011

Opinião #13: "Sangue De Anjo" (Livro)

- SANGUE DE ANJO -

Capa:


Autora:
Nalini Singh

Informação:
Edição/reimpressão - 2011
Páginas - 356
Editor - Casa das Letras
ISBN - 9789724620046
Idioma - Português

Sinopse:
Elena Deveraux é uma caçadora de vampiros. Sabe que é a melhor - mas não sabe se será suficientemente boa para a tarefa que tem que cumprir. É contratada pelo perigosamente belo arcanjo Raphael, um ser de tal modo letal que nenhum mortal deseja merecer a sua atenção. Elena sabe que não pode falhar - embora se trate de uma missão impossível. Porque desta vez não é um vampiro voluntarioso que tem de localizar. É um arcanjo que degenerou.
A missão irá colocar Elena no meio de um turbilhão de mortes inimaginável - e levá-la para o fio da navalha da paixão. Mesmo que a caçada não a destrua, sucumbir ao encanto de Raphael pode fazê-lo. Pois quando os arcanjos brincam, os mortais sofrem…

[COMPRE ESTE LIVRO NA WOOK]

-----

Opinião:

Tenho andado a adiar escrever esta opinião, porque foi-me difícil chegar a uma conclusão para explicar as razões por que adorei este livro.

Em primeiro lugar, a originalidade. A autora conseguiu pegar em dois elementos que já aparecem em quase tudo o que são livros de fantasia (os vampiros e os anjos), e criar uma história original. Foi a primeira vez que li uma história em que são os anjos que criam os vampiros, que depois lhes ficam a dever vassalagem durante pelo menos um século. Só por aí o livro ganhou logo bastantes pontos, porque gostando eu de livros que envolvam essas "criaturas", mas já estando um pouco saturada de ir quase tudo parar ao mesmo, este pelo menos era original.

No meio desses dois mundos aparece Elena Deveraux, uma caçadora de vampiros, que tem a capacidade especial de reconhecer os vampiros pelo cheiro, e conseguir assim seguir-lhes o rasto (basicamente, e usando o termo de comparação mais próximo no mundo animal, um cão de caça). Mais uns quantos pontos pela originalidade, e a construção da personagem está muito boa, tanto em termos de personalidade como de evolução ao longo da história.

E depois apareceu o Raphael, o arcanjo de Nova Iorque. Quando a ele, só tenho uma coisa a comentar: a Elena é o ser do sexo feminino heterossexual com mais força de vontade que eu já "vi" na minha vida! E nunca mais vou ver secretárias e banheiras da mesma forma depois de ler este livro.

O final da história é amoroso, e quero bastante ler a continuação. Espero que continuem a traduzir os livros!

Sem comentários:

Enviar um comentário