segunda-feira, 25 de abril de 2011

Opinião #19: "O Espírito do Amor" (Livro)

- O ESPÍRITO DO AMOR -

Capa:


Autor:
Ben Sherwood

Informação:
Edição/reimpressão - 2006
Páginas - 248
Editor - Editorial Presença
ISBN - 9789722335539
Colecção - Grandes Narrativas
Idioma - Português

Sinopse:
O Espírito do Amor é o segundo romance de Ben Sherwood e conta a história de Charlie, um rapaz que aos 15 anos se depara com a morte do seu irmão mais novo, Sam. A amizade entre os dois irmãos é tanta e a dor da perda é tão grande que Charlie promete nunca abandonar o irmão e durante treze anos vivem numa espécie de limbo, onde ambos são felizes sem viverem plenamente. É então que o nosso protagonista conhece Tess, uma jovem navegadora por quem se apaixona e que o faz ver que existe muito mais para viver. Irá Charlie cumprir a promessa feita a Sam ou irá em busca do mundo desconhecido na companhia de Tess? Um romance apaixonante que avivará os sentimentos mais profundos do leitor.

[COMPRE ESTE LIVRO NA WOOK]

-----

Opinião:

Sinceramente, não tenho muito a dizer sobre este livro.

É uma leitura leve, uma história original e bem escrita. Mas, para quem viu o filme, não vai descobrir nada de especial no livro, porque a adaptação está muito bem feita, não deixando nada essencial de fora, e até penso que o final que deram à história no filme é melhor que no livro. Tal como aconteceu com outros aspectos que estão diferentes no filme, mas que visualmente ficam muito melhor e até ajudam a história a fazer mais sentido.

Para quem gostou do filme é uma boa leitura, mas não é daquelas "vou ler o livro para descobrir o que não incluíram no filme". Para quem não viu o filme, leia, que é uma história bastante bonita.

Mas aproveito que estou a falar do livro e refiro uma coisa que sempre me fez confusão desde que saiu o filme: acho que nunca vi uma mesma coisa com tantos nomes diferentes! O livro original chama-se "The Death And Life Of Charlie St. Cloud", e quando adaptaram para o cinema, ficou só "Charlie St. Cloud". Até aqui tudo bem. Mas porque é que em Portugal dão o nome ao livro de "O Espírito do Amor" (que sinceramente, não bate a bota com a perdigota), e depois no filme usam "Sempre Que Te Vejo"? (*inserir música do João Pedro Pais aqui*). É que mesmo em termos promocionais não facilita muito.

Enfim, se todos os problemas de tradução fossem deste género, eu era uma rapariga feliz.

Sem comentários:

Enviar um comentário