quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Booking Through Thursday #1

Aqui começo mais uma rubrica (espero conseguir mantê-las todas a um ritmo semanal), em que o objectivo é responder a perguntas relacionadas com as nossas experiências de leitura. Esta rubrica foi iniciada pelo blog Booking Through Thursday.

---




1. What do you think of reading aloud/being read to? Does it bring back memories of your childhood? Your children’s childhood?

Quando lemos para nós temos normalmente um ritmo muito acelerado e muitas vezes sem tomar atenção às devidas pausas, e quando transpomos essa leitura para voz alta conseguimos absorver muito melhor a história, como se fizéssemos parte daquele mundo, pois é uma leitura muito mais cuidada. Quanto a lerem para mim, sinceramente não tenho lembranças desse tipo da minha infância, e acho que se o fizessem para mim agora seria simplesmente estranho!

2. Does this affect the way you feel about audio books?

Audio books é algo que nunca experimentei, mas que ando à bastante tempo para o fazer, portanto não tenho opinião formada em relação a eles. Mas basicamente é ter alguém a ler um livro para mim, por isso não sei se não passarei por esse sentimento de "estranheza" inicialmente.

3. Do you now have times when you read aloud or are read to?

Não costumo ler livros em voz alta, mas fiz uma vez essa experiência numa aula da faculdade (em que fazíamos leituras em voz alta à vez, enquanto os restantes ouviam de olhos fechados), e realmente é uma óptima experiência de leitura.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Waiting On Wednesday #1

- WAITING ON WEDNESDAY -

Waiting On Wednesday é uma rubrica semanal organizada pelo blog Breaking The Spine que evidencia livros, ainda por publicar, de que estamos ansiosamente à espera.

A minha escolha desta semana:

"À Solta Na Noite", de Sherrilyn Kenyon


Sinopse (Wook): "É um mundo cruel para os Predadores. O perigo espreita em cada esquina. Não há ninguém em quem possam confiar. Ninguém que possam amar. Não se quiserem continuar vivos...

Wren Tigarian era apenas uma cria órfã quando foi levado para o Santuário. Muitos veem-no como uma aberração - uma mistura proibida de duas espécies, pelo que se tornou um solitário, isolando-se tanto do contacto com os Predadores do Homem como com os humanos. Até conhecer Marguerite Goudeau. Filha de um notável senador dos EUA, Marguerite detesta a farsa social em que é obrigada a viver. Contudo, não tem outra opção senão tentar adaptar-se a um mundo onde se sente uma estranha. O mundo dos humanos nunca devia contactar com o dos Predadores do Homem, que habitam a seu lado, invisíveis, desconhecidos, indecifráveis. Mas para que possa proteger Marguerite, Wren terá de combater não apenas os humanos que nunca aceitarão a sua natureza animal, como também os Predadores do Homem que o querem ver morto. É uma corrida contra o tempo num mundo de magia sem fronteiras que lhes poderá custar não apenas a vida, mas a alma..."

Lançamento previsto para 7 de Outubro, 2011.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Teaser Tuesdays #1

Como este meu cantinho na internet tem andado bastante parado (culpa de agora ser pessoa com emprego e por isso, não ler tanto, e consequentemente não ter tantos livros sobre os quais opinar), tenho andado há uns tempos a pensar em aderir a umas quantas rubricas literárias. Como não ocupam muito tempo e sempre dinamizam o blog, aqui fica a primeira!

- TEASER TUESDAYS #1 -

Teaser Tuesdays é uma rubrica semanal organizada pela MizB do blog Should Be Reading.

Toda a gente pode participar! Estas são as regras:
- Pegar no livro que estamos a ler;
- Abrir numa página aleatória;
- Partilhar um excerto dessa página. CUIDADO PARA NÃO INCLUIR SPOILERS!;
- Partilhar o título e o autor do livro, para que os outros participantes o possam adicionar às suas listas TBR (To Be Read), se gostarem do teaser!

---

Aqui fica então o meu primeiro teaser:



"Joona espera até que os polícias se espalhem à volta da casa a uma distância segura, mas empunhando as armas. Ouve-se o estalido de um ramo de árvore. Ao longe, ecoa o som de um pica-pau a fazer o seu trabalho noutra árvore. Joona segue a movimentação dos colegas e, ao mesmo tempo, aproxima-se lentamente da casa. Tenta ver através dos cortinados rosa. Faz um sinal a Kristina Andersson, uma agente recém-formada, de queixo afilado, para que pare. Ela tem as faces rosadas do frio e obedece, sem desviar os olhos da casa. Tranquilamente, concentra-se, tira a arma do coldre e dá alguns passos para o lado."

"O Hipnotista", Lars Kepler (pág. 98)


sábado, 24 de setembro de 2011

Opinião #53: "Nudez Mortal" (Livro)

- NUDEZ MORTAL -

Capa:
Autora:
J.D. Robb

Informação:
Edição/reimpressão - 2008
Páginas - 248
Editor - Edições Chá das Cinco
ISBN - 9789898032300
Idioma - Português

Sinopse:
Eve Dallas é tenente da polícia de Nova York e persegue um assassino implacável. Em mais de dez anos de profissão, ela já viu tudo — e sabe que a sua sobrevivência depende do seu instinto. E é precisamente esse instinto que ela tem de ignorar quando se envolve com Roarke, um bilionário irlandês, principal suspeito na investigação de Eve. Mas a paixão e a sedução têm as suas próprias regras e só depende de Eve arriscar-se ou não nos braços de um homem sobre o qual nada sabe, excepto que deseja loucamente a sua companhia... e tudo o que isso acarreta!

[COMPRE ESTE LIVRO NA WOOK]

-----

Opinião:

Como comecei esta série quase ao contrário (o primeiro livro que li dela foi o "Vingança Mortal"), a opinião com que acabei por ficar deste foi um pouco influenciada pelo facto de já ter conhecimento de factos futuros, principalmente no que diz respeito à relação de Eve com Roarke. E, como já seria de esperar, não consigo deixar de comparar ambos os livros.

Quanto ao nível da escrita não tenho nada a apontar, gosto bastante da maneira como a autora escreve, é uma daquelas leituras que me entretém durante horas e me faz perder a noção do tempo (tanto que li este livro em duas tardes). Mas fiquei um pouco desiludida com este primeiro volume, pois pecou no que é, para mim, o aspecto mais importante num policial: o final foi previsível. Dado que no "Vingança Mortal" fui apanhada completamente de surpresa, esperava o mesmo deste livro, e já fui com expectativas altas, que não foram cumpridas.

Desde praticamente o início do livro que eu suspeitava que seria aquele o culpado (claro que sem saber precisamente o porquê, e não sei se foi apenas intuição mas algo me chamou logo a atenção nesse aspecto para a personagem), e por isso quando cheguei ao fim fiquei desapontada ao constatar que as minhas suspeitas estavam correctas (o que mais gosto neste tipo de livros é ser completamente surpreendida com o final, e aqui isso não aconteceu de todo).

Fora isso não tenho mais apontamentos a fazer, foi uma leitura bastante interessante, e foi bom voltar a visitar os personagens desta série, mesmo que de forma inversa na linha da história (principalmente o "casal maravilha"). Tentarei ler mais destes livros, mas sendo uma série já bastante grande (e de policiais, género que apenas leio esporadicamente), não me incita o suficiente a, nesta altura do campeonato (como se costuma dizer), terminá-la.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Opinião #52: "Uma Grandiosa e Terrível Beleza" (Livro)

- UMA GRANDIOSA E TERRÍVEL BELEZA -

Capa:
Autora:
Libba Bray

Informação:
Edição/reimpressão - 2011
Páginas - 352
Editor - Edições Gailivro
ISBN - 9789895578702
Idioma - Português

Sinopse:
Gemma Doyle não é igual às outras raparigas de postura irrepreensível, que só falam quando interpeladas, que conservam a postura, que permanecem deitadas e que pensam na Inglaterra quando lhes é pedido. Não, Gemma é uma ilha. Aos dezasseis anos é enviada para a Academia Spence, em Londres, após uma tragédia que assombrou a sua família na Índia. Sozinha, carregando o peso da culpa e propensa a visões do futuro que têm o mau hábito de se concretizar, Gemma é alvo de uma recepção gelada. Mas Gemma não está só… ela foi seguida por um jovem misterioso, que quer que a sua mente se feche às visões. Em Spencer os poderes de Gemma ganham força. Ela vê-se enredada com as raparigas mais influentes da escola e descobre a ligação da sua mãe a um grupo obscuro conhecido por a Ordem. E será aí que o seu destino a espera… se Gemma acreditar nele. "Uma Grandiosa e Terrível Beleza" é o tipo de livro que não conseguimos largar… É uma vasta tapeçaria de saias rodadas, de sombras dançantes e de coisas que se escondem na escuridão. É um retrato vivo da época vitoriana, altura em que as raparigas eram educadas para serem esposas de homens ricos… E é a história de uma rapariga que viu um caminho diferente.

[COMPRE ESTE LIVRO NA WOOK]

-----

Opinião:

A primeira e única palavra que me vem à cabeça para descrever este livro é, com toda a certeza, "aborrecido". Apenas o terminei por teimosia e por ser um livro pequeno (não me ocupando assim tanto tempo quanto isso), mas posso jurar que descobri nele a minha cura para uma noite de insónias.

Não me quero alongar muito nesta opinião, até porque sinceramente penso que não o merece, mas a verdade é que estava à espera de mais. Não tinha muitas expectativas em relação a ele (e nem sequer me despertou curiosidade ao ponto de o comprar, tendo-o apenas porque o ganhei num passatempo), mas as poucas que tinha não foram cumpridas.

Estava à espera de um livro histórico. Li um livro onde nada me indica a época onde se passa fora as referências a datas e as menções óbvias e introduzidas "à pressão" do sentido de decoro das mulheres da altura (e rio-me bastante de cada vez que vejo escrito na sinopse que "É um retrato vivo da época vitoriana"). Estava à espera de um livro com um aspecto paranormal. Li um livro onde há uma rapariga que tem um par de visões em toda a história, e que entra num qualquer mundo alternativo que mais parece o fruto da imaginação de quem andou a fumar produtos ilegais. Estava à espera de um romance. E aqui não li mesmo nada disso.

Mas o que mais me desiludiu foi mesmo o facto de a protagonista, Emma, não ser assim tão diferente das suas colegas. No início gostei bastante do seu sarcasmo e aparente desinteresse por aquilo que a sociedade esperava de si, mas a partir do momento em que se muda para a sua nova escola, basicamente perde-se na multidão. Essa personalidade desapareceu, e apenas a distingui das outras raparigas pelo nome. Para além disso, não houve, na minha opinião, qualquer tipo de desenvolvimento em qualquer das personagens.

Admira-me o facto de este livro fazer parte de uma série. Não há qualquer tipo de pergunta cuja resposta não tenha sido dada, ou que suscite curiosidade suficiente no leitor para ler mais um livro (e quanto mais dois, já que é uma trilogia). Para mim, é um daqueles casos em que se começa a ter pena das árvores e a lamentar o desperdício de papel.

Foi bom apenas para passar o tempo e para ter uma leitura que não exigisse muito de mim, mas foi leve e sem enredo demais para o meu gosto.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Opinião #51: "Filha do Sangue" (Livro)

- FILHA DO SANGUE -

Capa:
Autora:
Anne Bishop

Informação:
Edição/reimpressão - 2006
Páginas - 384
Editor - Saída de Emergência
ISBN - 0956000236109
Idioma - Português

Sinopse:
Há setecentos anos atrás, num mundo governado por mulheres e onde os homens são meros súbditos, uma Viúva Negra profetizou a chegada de uma Rainha na sua teia de sonhos e visões.
Agora o Reino das Sombras prepara-se para a chegada dessa mulher, dessa Feiticeira que terá mais poder do que o próprio Senhor do Inferno. Mas a Rainha ainda é nova, passível de ser influenciada e corrompida.
E quem controlar a Rainha controlará o mundo. Três homens poderosos inimigos de sangue sabem isso. Saetan, Lucivar e Daemon apercebem-se do poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. E assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, onde as armas são o ódio e o amor. E o preço pode ser terrível e inimaginável.

[COMPRE ESTE LIVRO NA WOOK]

-----

Opinião:

Depois de vários anos a adiar, finalmente comecei a ler a Trilogia das Jóias Negras da Anne Bishop. E a primeira palavra que me vem à cabeça para descrever este primeiro volume é: confuso!

Muito sinceramente, mesmo depois de ter o livro todo lido, acho que ainda não tenho conhecimento suficiente sobre o mundo em que se passa para poder desenvolver uma opinião elaborada sobre ele (por isso apenas vou abordar a minha experiência de leitura e não a história em si). O que, por um lado, é mau. Se não fosse a autora que é, muito provavelmente tinha desistido da leitura antes de chegar a meio.

A história começa de uma forma muito repentina, e não nos é dada nenhuma introdução ao mundo das personagens, à mitologia ou sequer ao "funcionamento" das jóias (por muitas vezes tive de ir à página inicial que contém a ordem hierárquica das jóias por cores, para perceber minimamente o poder de certa personagem, pois na história apenas é referida a cor da jóia que têm, quase sem referir se é poderosa ou não, excluindo claro está as negras).

Se o mundo criado por Anne Bishop não fosse por si só confuso, temos ainda de lidar com um grupo imenso de personagens que vão surgindo de forma inesperada. Por mais de uma vez me aconteceu pensar que finalmente estava a perceber tudo, mas depois apareciam mais quatro ou cinco personagens que viravam tudo do avesso outra vez!

Mas consegui finalmente "entrar" no ritmo da história (pelo menos o suficiente para não ficar frustrada ao final de cada página), e pude admirar a sua originalidade e até complexidade. Tenho curiosidade em ler o resto, e recomendo este livro a quem gosta bastante de fantasia. Mas só se estiverem preparados para um livro que têm de ler de forma muito atenta e que vos vai por a pensar e a tentar estabelecer conexões de forma muito elaborada!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Opinião #50: "Refúgio" (Livro)

- REFÚGIO -

Capa:
Autor:
R. A. Salvatore

Informação:
Edição/reimpressão - 2011
Páginas - 304
Editor - Saída de Emergência
ISBN - 9789896373443
Idioma - Português

Sinopse:
Depois de escapar da sociedade cruel e vingativa de Menzoberranzan, a sua cidade natal escondida nas profundezas da terra, Drizzt inicia uma nova aventura num mundo inteiramente diferente. Desta vez na superfície, sob a luz revigorante de um sol que o fascina e rodeado por florestas frondosas e mil e um segredos para descobrir. Mas esse novo mundo também pode ser hostil e, pior, os elfos negros não desistiram de o caçar. Poderá Drizzt encontrar refúgio longe das trevas que rodeiam a sua raça e integrar-se num mundo que o olha com desconfiança e temor? Não perca a dramática conclusão da trilogia do Elfo Negro.

Venha descobrir Drizzt, o elfo negro, uma das personagens mais lendárias da fantasia. E acompanhe-o na épica e intrépida jornada para longe de um mundo onde não tem lugar… em busca de outro, na superfície, onde talvez nunca o aceitem.

[COMPRE ESTE LIVRO NA WOOK]

-----

Opinião:

Esta é, sem dúvida, uma das minhas séries favoritas actualmente. A história é original, a escrita é brilhante, e aborda um mundo que simplesmente me fascina. Por isso, não foi surpresa nenhuma o facto de ter adorado este último livro daquela que é apenas a primeira trilogia que aborda a vida de Drizzt, o elfo negro.

O meu livro preferido continua a ser o primeiro, pois foi aquele que se passou inteiramente em Menzoberranzan, a terra natal de Drizzt. A forma como a sociedade está organizada é curiosíssima de ler, mas não foi por este terceiro livro não ter um único momento passado lá que deixei de gostar bastante dele. A verdade é que estava à espera de a certo ponto haver alguma passagem com a família de Drizzt ou uma perseguição do seu antigo povo ao renegado que ele se tornou (tal como dá a entender na sinopse), mas Drizzt passa este livro totalmente isolado daquilo que abomina e preencheu as primeiras décadas da sua vida.

No geral, foi interessante ver Drizzt a tentar viver num novo mundo que desconhece completamente, mas que para o leitor é comum, quando ele próprio nasceu e cresceu numa sociedade que não reconhecemos como "normal", mas que ele até certo ponto aceita e por muito que a critique, usa os conhecimentos que ela lhe forneceu para conseguir sobreviver. A cena inicial em que ele se depara com uma doninha pela primeira vez é hilariante!

Acabada a leitura, não consegui assumir este livro como o final de uma trilogia, pois pareceu-me simplesmente uma introdução à trilogia que se segue. Os dois primeiros livros têm uma ligação muito mais forte entre si, enquanto que este parece já o início de uma nova história, e o final não tem a closure suficiente para o final que devia ser.

Mas, como sempre, foi um livro que adorei. Drizzt é uma personagem fascinante de conhecer (e a sua pantera-cujo-nome-não-consigo-soletrar é dos meus animais preferidos da literatura), e mal posso esperar para ler mais das suas aventuras!

domingo, 4 de setembro de 2011

Aquisições da Semana #19

Depois de várias semanas a portar-me bem, sem comprar um único livro, esta semana foi o descalabro! Em minha defesa posso dizer que efectivamente apenas comprei um, mas não é por isso que deixo de ter os outros para ler, por isso esta semana a minha lista de leitura levou um grande aumento.
"A Sombra do Vento", de Carlos Ruiz Zafón, "Antes Bruxa que Morta" da Kim Harrison, e "Pecados na Noite" da Sherrilyn Kenyon (sei que já o tinha mostrado aqui uma vez, mas ofereci esse exemplar) foram oferecidos pelo pai. "As Brumas de Avalon - O Rei Veado" e "As Brumas de Avalon - O Prisioneiro da Árvore" da Marion Zimmer Bradley foram pedidos no winkingbooks, e comprei o pack da fnac do livro "A Lâmina" de Joe Abercrombie, que trazia a oferta do "O Nome do Vento" do Patrick Rothfuss.

Estou bastante satisfeita com as novas adições à minha estante, pois em grande parte são livros que quero ler há bastante tempo. Agora tenho é de acelerar o meu ritmo de leitura, que a este ritmo só para o ano que vem é que chego a estes!