quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Opinião #54: "O Beijo da Meia-Noite" (Livro)

- O BEIJO DA MEIA-NOITE -

Capa:
Autora:
Lara Adrian

Informação:
Edição/reimpressão - 2011
Páginas - 386
Editor - Quinta Essência
ISBN - 9789898228437
Idioma - Português

Sinopse:
Gabrielle Maxwell, uma reconhecida artista de Boston, celebra o êxito da sua última exposição exclusiva. Entre a acalorada multidão, sente a presença de um sensual desconhecido que desperta nela as fantasias mais profundas. Mas nada relacionado com essa noite nem com esse homem é o que parece. À saída, Gabrielle presencia um homicídio e, a partir desse momento, a realidade converte-se em algo escuro e mortífero, e ela entra num submundo que nunca soube que existia, habitado por vampiros urbanos.
Lucan Thorne é um vampiro, um guerreiro da Raça, que nasceu para proteger os seus - assim como os humanos que com ele coexistem - da crescente ameaça dos vampiros renegados. Lucan não pode correr o risco de unir-se a uma humana, mas quando Gabrielle se converte no alvo dos seus inimigos, não tem escolha e é forçado a levá-la para esse outro mundo que lidera, no qual serão devorados por um desejo selvagem e insaciável. Nos braços do formidável líder da Raça, Gabrielle irá enfrentar um extraordinário destino de perigo, de sedução e dos mais sombrios prazeres...

[COMPRE ESTE LIVRO NA WOOK]

---

Opinião:

Depois de andar meses curiosa em relação a esta série (que é como quem diz, desde que começou a ser cá publicada), finalmente decidi-me em começar a comprá-la. Num voto de confiança e na esperança de vir a gostar acabei por já ter na prateleira os três primeiros livros antes de ter lido sequer o primeiro (algo que não gosto de fazer, para o caso de acabar por não gostar da série). E acabada a leitura deste "O Beijo da Meia-Noite", posso dizer que foi um bom investimento!

Antes de mais, achei que foi uma boa introdução ao mundo criado pela autora. Ficamos a conhecer as duas classes de vampiros existentes: os "normais" vampiros da Raça, e os renegados que perderam a razão para um desejo incontrolável de sangue. Para além disso, e o mais importante para a história, conhecemos o grupo de guerreiros que tomou como missão exterminar os renegados e defender qualquer pessoa - humana ou vampira - que se cruze no caminho desses vampiros.

Embora não considere a premissa totalmente original (conheço outras séries que envolvem vampiros que conseguiram criar uma mitologia bastante diferente, e já ouvi por diversas vezes comentários acerca das muitas parecenças entre esta série e a da Irmandade da Adaga Negra, da J.R. Ward), foi boa o suficiente para me manter presa às páginas até ao final. O que acabei por achar mais interessante nem foi os vampiros em si, mas sim o "estatuto" de Companheira de Raça que apenas algumas mulheres humanas possuem, que lhes permite continuar com a linhagem dos vampiros (apenas com elas eles se conseguem reproduzir). Já quanto à origem alienígena dos vampiros... Enfim, podia ser pior!

Achei curioso o facto de logo o primeiro livro da série ser sobre o líder dos guerreiros (tomando como exemplo os livros dos Predadores da Noite, da Sherrilyn Kenyon, apenas muito para a frente se conhece a história de Acheron, o seu líder), mas sem ler os restantes volumes não consigo avaliar se isso é positivo ou negativo para o evoluir da história. Quanto muito, posso dizer que começou em grande!

Quanto à tradução e ao tipo de escrita: acredito que a Lara Adrian seja uma boa escritora, mas isso ficou bastante ocultado pelo trabalho de tradução feito. Um dos vários problemas que ligou o meu radar de "picuinhíce" foi o facto de sempre que era referida uma qualquer divisão de uma casa (ou qualquer coisa que tivesse quatro paredes e um tecto), esta ser definida como "aposento". Acabei sempre por visualizar camas e cómodas em sítios como garagens e armazéns!

Concluindo: li, gostei, e fiquei com curiosidade suficiente para ler o resto. Mas a verdade é que dentro do mesmo género comparei bastante o tipo de história com os livros da Sherrilyn Kenyon (dado que nunca li os da J.R. Ward), e posso dizer que prefiro os da SK, em todos os aspectos. Mas não deixa de ser uma boa leitura, quanto mais não seja para variar um bocadinho!

1 comentário:

  1. Quando, e se leres, os livros da J.R. Ward vais perceber que existem mais parecenças com a saga dela do que com a da SK, incluindo a ordem dos livros das personagens.
    Tanto os livros desta saga como os da Ward começam com a história do líder, as próprias personagens têm imensas semelhanças, mas a Ward aprofunda mais o passado das personagens do que a Lara Adrian, apesar de no terceiro livro ela começar já a referir-se mais ao passado do Tegan do que nos livros do Lucan e do Dante.
    Mas, pelos vistos, a senhora Ward aprova os livros da senhora Adrian, por isso ...

    ResponderEliminar